sábado, 17 de setembro de 2011

Aula 18: Se outubro vier, que venha armado!

O título deste post é uma apropriação leve de um dos mais conhecidos versos de Mano Brown do Racionais Mc's, grupo de Rap e Hip-Hop paulista que desde os anos oitenta mudou os caminhos da escrita da música brasileira. Os Racionais conseguiram conciliar uma linguagem própria às reivindicações e denúncias sociais, sem esquecer em nenhum momento que a escrita literária é, antes de tudo, uma escrita criativa. Após o estrondoso sucesso de "Sobrevivendo no inferno", disco de 1997, a partir do qual o grupo se tornou conhecido do grande público e da grande mídia. Felizmente Mano Brown, Edy Rock, Ice Blue e KL Jay não aceitaram o assédio dos grandes veículos de reprodução e comunicação musical que, certemente, tentariam pasteurizar o som e, principalmente, a escrita dos integrantes do grupo. "Sobrevivendo" atingiu 1 milhão de cópias vendidas numa época em que o comércio dos cd's piratas era muito mais intenso, o que nos leva crer que os sucessos "Diário de um detento", "Fórmula mágica da paz", "Cap. IV, Versículo 3" e "Mágico de oz" foram ouvidos, cantados e, porque não dizer, consumidos por pelo menos três milhões de pessoas em todo Brasil. O videoclipe de "Diário de um detento" venceu o MTV Video Music Brasil e foi exibido (trecho) no MTV Awards, foi gravado no presídio do Carandiru e escrito a partir de depoimentos de presos (em específico um) que viveram a invasão brutal da polícia de São Paulo na rebelião que acabou com 111 mortos. Sem ceder aos apelos da grande mídia que queria lucrar em cima do sucesso alcançado por um grupo formado por jovens da periferia paulista e que tinha conquistado às custas do próprio trabalho e de suas convicções o respeito e a adoração de milhares de fãs que se identificavam com suas mensagens e posturas, os Racionais seguiram sua estrada sem ignorar os trabalhos anteriores ao aclamado "Sobrevivendo" e, como todo grande artista que se preze em qualquer área de criação, evoluindo na parte musical e literária de sua produção. Em entrevista recente para a revista Rolling Stone, Mano Brown falava justamente que percebeu que as coisas não precisavam mais ser ditas tão diretamente, em tom de ordem, mas que poderiam estar embutidas no contexto, de forma mais artística. Assim o trabalho posterior "Nada como um dia atrás do outro" (2002), trazia uma cardápio variado nas composições e nas melodias o que fez com que o disco fosse novamente elogiado pelos críticos. Com sucessos que passaram a integrar a vida das pessoas como "Vida Loka I" e "Vida Loka II", "Estilo Cachorro", "Jesus Chorou" e "Negro drama", os Racionais voltaram a realçar sua importância no cenário musical brasileiro, além de se manterem fiéis ao público que os acompanha quase em profissão de fé.
Os Racionais Mc's já fazem parte daquilo que consideramos como MPB, seja pelo viés do agrupamento de tudo que é produzido no Brasil, seja pelo viés da qualidade e da influência que sua escrita e musicalidade têm para o espaço social brasileiro. De valor literário inquestionável e com alguns trabalhos acadêmicos já produzidos sobre perspectivas de sua obra, o grupo da periferia paulista, que exalta a zona leste de sua cidade e representa sem medo uma parte da população esquecida por muitos anos e que acabou produzindo um conceito paralelo de sociedade e humanidade, muito mais próximo de sua realidade que o dos livros de antropologia e ciências sociais, promete para breve novo lançamento musical que aguardamos, neste blog, com muita ansiedade.
Trabalho com as letras do grupo em minhas aulas, tanto na parte literária quanto na análise da construção de uma linguagem muito mais social do que normativa. É rui reparar que alguns cidadãos tão jovens ainda têm certo preconceito linguístico e social com determinadas questões, mas alegria de ver a surpresa da maioria ao trabalharmos com tais canções é sempre muito mais atraente e produtiva. Muitos de meus alunos já conhecem o grupo e suas principais canções o que torna mais interessante o trabalho, já que eles entendem que algo que é condenad por muitos como "marginal" (no sentido de estar à margem e não ser necessário no conhecimento escolar) é construido de maneira tão rica e sobre uma realidade desconfortante. Fique com alguns dos clipes/músicas que mais gosto do Racionais:




Nenhum comentário:

Postar um comentário